{ Somos mães }

Quando eu tinha uns 15 anos, eu tinha certeza de que meus filhos iam nascer por cesárea. Parecia bastante absurda a hipótese de tirar uma melancia por um buraco onde só passa um limão*, quando existia a possibilidade de nem ter as dores do trabalho de parto.

O tipo de parto é um assunto tão inerente à mulher que, mesmo que você nem tenha namorado e seja virgem, provavelmente formou uma opinião a respeito. O que todos os médicos e entidades de saúde recomendam é que se tenha um parto normal. Uma das coisas mais curiosas é que eu assisto a partos normais tranquilamente: choro e acho lindo. Mas sou incapaz de assistir a cesáreas. Considero brutal, independentemente da falta de dor da mãe.

Em algum momento, eu entendi que era tudo medo e que ser mãe era um processo natural. Se o mundo tem hoje mais de seis bilhões de habitantes, isso tudo é porque dar à luz é só mais um pedaço da vida da gente – um pedaço lindo, por sinal. Mesmo que digam que a mulher moderna não tem capacidade ou força para fazer um parto, existem mulheres parindo sozinhas todos os dias.

Depois de 15 anos de discussões internas sobre o assunto, eu decidi que quero um parto natural. Sem drogas, sem substâncias químicas. Sem cortes desnecessários. Eu não quero 17 enfermeiros checando minha dilatação, nem pessoas que tenham que procurar o médico pelo hospital quando eu gritar que “tááá nasceeeendo”. Eu não quero ter um parto induzido a não ser que isso seja realmente necessário. Eu quero toda a experiência de ser mãe, com toda a dor e com toda a certeza de ser o momento mais puro e mais emocionante de toda a minha vida.

Isso não significa que essa é uma experiência egoísta, nem que eu quero ter meu filho com os lobos. Eu espero um bebê que nasça sem a influência de anestesias e outras drogas. Quero que ele venha no tempo que ele bem entender – porque deve estar tão quentinho e gostoso aqui dentro que não deve ser uma situação muito confortável ter que sair. Não se apresse, meu querido, use o tempo que for preciso; mamãe estará morrendo e gritando de dor, mas não se assuste. Saia quando puder.

As mulheres fazem isso desde que o mundo é mundo, mas ainda há quem ache que essa é uma maneira ruim. Uma mãe ama seu filho tanto ou mais que outras pessoas, e realmente não consigo imaginar porque uma mulher que decida ter um parto normal sem o uso de anestésicos colocaria a vida dele em risco. Estamos falando da dor que é a referência de todas as outras dores do mundo; acredite, ninguém faz isso só por diversão. E se não for possível, então induzimos o parto, fazemos cortes, tomamos anestesias. Não somos idiotas. Somos mães.

Cansa, além de todo o medo, ainda ter que explicar porque é que desejo um parto natural.

___

* Why don’t you try squeezing something the size of a watermelon out of an opening the size of a lemon and see how hot YOU look? – Mollie, no filme Look Who´s Talking (Olha Quem Está Falando)

  1. Liber’s avatar

    Parabéns pelo bebê e pela escolha. “Padecer no Paraíso”, não é?

    Bjs e tudo de bom, senhorita escritora.

    Responder

  2. San’s avatar

    Aêee!!!! Orgulho de vc viu! Belíssima decisão! Que os Anjos abençoem!
    Parabéns Mamãe! Um bjão no barrigão!!

    Responder

  3. Núbia Albergoni’s avatar

    Oi gatoona :D vc tá gráávida, que coisa mais fofaa! *-* Me identifiquei muito com o texto (ah, sério?! Quase nunca amo seus textos, hihi #lie) Tá! Eu não tô grávida (amém?) mas tenho o mesmo pensamento. Só quero cesária se for REALMENTE necessário. Deve doer, mas deve ser uam dor gostosa de saber de vc gerou uma pessoa! :O Tudo de bom pra vocês! Feliz 2011, beesos :* ah, qd vier pra cá de novo, me visita ;D

    Responder

  4. Tati’s avatar

    Lindo, Letícia!!

    Feliz ano novo para a mamãe, para o papai e para o anjinho.

    Beijos

    Responder

  5. Ana’s avatar

    Meu deus… só consigo pensar: que coragem.

    Responder

  6. Fabio W.’s avatar

    Ainda bem que sou homem. Não, peraí, eu tenho que fazer a barba, e isso é uma dor tão grande quanto a de parir, só é menos lindo. Empatamos.

    Adoro seu blog, feliz 2011!

    Responder

  7. Carola’s avatar

    Le, duas frustrações da minha 1 gravidez: não ter amamentado pq a Mila não conseguia mamar no peito, e ter feito a cesárea pq não tinha outro jeito.

    A recuperação da cesárea é sóda… queria muito ter feito parto normal, mesmo com anestesia pq contração tbém é sóda.

    Torço pra que dê tudo certo e vc tenha um parto bem tranquilo! Parto normal mesmo com dor, é o canal!

    Beijos!

    Responder

  8. Karla’s avatar

    Minha heroina!

    Responder

  9. JulioHM’s avatar

    A Bia também escolheu pelo parto normal, mas na última hora houve descolamento da placenta e fomos obrigados a passar pela cesárea.

    Não foi nada grave, mas como diz o sábio… não custa avisar e passar adiante as histórias da vida:

    Quando chegar a hora e romper a bolsa, não perca tempo e vá IMEDIATAMENTE ao hospital. No nosso caso, quando a bolsa da Bia rompeu, não houve dores nem contrações. Arrumamos tudo com calma, até tomamos um banho para depois ira o hospital. O parto foi tranquilo e somente depois a médica nos contou que houve descolamento da placenta e, se tivéssemos chegado ao hospital 15 minutos mais tarde o bebê já estaria sufocando e correndo sério risco de vida.

    Portanto, Fik@ a Dik@ :)

    Responder

  10. ISABELA’s avatar

    Sou do partido da cesárea (por pontos de vistas de diferentes) , mas sua opção pela dor de parir é tão linda, que como mulher genuína, não posso deixar de me curvar à sua atitude de amor.
    A impressão que tenho é de que seu amor de mãe transborda como se fosse um leite que ferve. Transforma o sofrimento do parto em prazer e alegria, só pelo fato de que isso possa ser uma possibilidade a mais de felicidade para o seu filho.
    Isso é lindo! Se ser mãe é isso, meu Deus, eu quero uma parir 6 bilhões de vezes!
    Parabéns!

    Responder

  11. Lidiane Andrade’s avatar

    Eu não vou ficar dando pitaco na escolha de ninguém. Só quero salientar que, não importa a forma como eles veêm ao mundo, mas sabe, o mais emocionante é que quando você olha aquela coisinha (porque, sim, dói pra cacete na hora de sair, mas é so uma coisinha pequenina), você percebe que “todo o amor que houver nessa vida” não é o suficiente, não cabe em você e você começa a sentir o amor se espalhando, exalando pelos poros… É indescritível, principalmente nos momentos a sós com o bêbê.
    Lecs, que venha logo esse menin( )(o-a) (marque um ‘x’ na opção correta), da forma que for ( e tomara que seja a que você escolheu) que a tia aqui tá curiosa pra vêl(o-a).

    Beijo

    Responder

  12. cecilia m.’s avatar

    Uma grande amiga minha teve neném há dois meses, minha prima que tenta engravidar há uns dez anos obteve sucesso na inseminação e está esperando gêmeas, estão pra nascer, alguns bebês de conhecidos que nasceram recentemente vivem dando as carinhas pela internet e o que todos têm em comum? Nasceram de cesariana. Eu e minha irmã nascemos de cesaria, isso há 26 e 23 anos atrás. O que há de errado com o Brasil? Por que essa institucionalização do medo da dor? Tatuagem também dói e todo mundo faz, mas pra ter filho a pessoa prefere se cortar e levar pontos ao invés de fazer força?
    Concordo com você.
    Não penso em ter filhos por enquanto, mas se um dia essa idéia habitar os meus planos, peço a Deus me que permita deixar meu bebê vir na hora dele.

    Beijos pra vcs dois!

    Responder

  13. Uli’s avatar

    Oi bonita! O nenê tá na barriga mesmo ou só no plano? Desde quando? Que feliz, feliz!
    Pelo menos os quilos que virão serão mais do que bem vindos, hehehe… e receita de muffin, tenho uma de cenoura, coloco um pedacinho de chocolate amargo dentro antes de assar, nhami. Se der lombriga, te passo a receita.
    Beijo e um ano inesquecível pra você!

    Responder

  14. Patricia Daltro’s avatar

    Sobre maternidade posso te dizer que nada sai como planejado… rs Eu tinha tudo sob controle, certeza absoluta de filhotinho nascendo naturalmente, então de repente uma ultra e o obstetra mandando ir em casa buscar minhas coisas porque teria que fazer uma cesárea. Como digo por ai, no meio do caminho tinha uma arteria defeituosa que fez meu filho nascer alguns dias antes do previsto.
    Não recomendo cesárea para ninguém, dizer que não há dor é besteira, pq pode não doer na hora, mas a dor é lancinante após o efeito da anestesia, depois pq todo movimento tem que ser calculado ou os pontos arrebentam…
    Felicidades nas suas decisões e que tudo aconteça como o planejado! :o)

    Responder

  15. Paulo’s avatar

    vc já tem este blog há tempos? Se for o mesmo, li tanto ele quando era um pouquinho mais jovem foi, inclusive, o primeiro blog que eu li. Que felicidade reencontrá-lo.

    Abraços

    Responder

  16. Victória’s avatar

    Concordo plenamente, é o que penso. E me espanta ver que todas, absolutamente todas as mães de recém-nascidos com que tenho contato tiveram cesárea… cada médico inventa uma desculpa. Vou ficar na torcida para que dê tudo certo com o teu e no dia seguinte você esteja apta pra plantar bananeira rs

    Responder

  17. Sil’s avatar

    Acho engraçado quando as mães escolhem o tipo de parto ou marcam data para a criança nascer. Uma coisa que a Eleonora me ensinou logo no início da gestação é que quem escolheria a maneira de como sair da barriga seria ela e eu, como mãe, aceitaria a situação.
    E sinceramente acho uma hipocrisia quando defendem o parto normal induzido, pois pra mim natural é quando a mãe tem dilatação e o nascimento flui conforme o esperado. A partir do momento que é preciso dar algum remédio para que a criança nasça, sou a favor do parto que não comprometa o Apgar da criança. Acho que ser mãe é pensar sempre no bem estar do filhote mesmo que isso lhe cause cicatrizes ou vá contra sua filosofia parideira.

    Anyway, 2011 chegou e que você tenha um parto lindo do jeitinho que vc imagina!Muita dilatação e muita força! Não diga nada sobre a dor porque no fim das contas ela se torna banal. Uma boa hora pra vc em 2011!

    Responder

  18. Sil’s avatar

    Mais um desejo para 2011: se o bebê precisar de cesárea, que a recuperação da mamãe Le seja como a minha: sem dores brutais, sem pontos e com direito a yoga 6 horas depois do parto.
    Aliás, eu fiz yoga a gestação inteirinha e é uma delícia ver as reações do bebê na barriga durante os movimentos.

    Responder

  19. caso me esqueçam’s avatar

    eu so digo uma coisa: boa sorte! seja natural ou nao, o que eu vejo eh sofrimento. acho quase injusto que haja mulherres que GOZAM enquanto parem. é uma falta de absurdo. hohoho

    aos 15, vi o video de uma cesariana e quase desmaiei quando vi aqueles ferros e coisas abrindo a barriga da mulher como se ela fosse elastica. chocante. normal, nem se fala. mulheres gritando loucamente. meu deus, enfim, eu queria que o guri se teletransportasse pra fora da minha barriga depois dos 9 meses. taria bom pra mim.

    Responder

  20. Karina’s avatar

    Falou e disse, menina!
    Como psicóloga que trabalhou um tempo com mulheres grávidas, bebês e suas mães, posso te dizer que o parto natural é simplesmente natural. Existem relatos de culturas onde as mulheres têm filhos sem sentir nenhuma dor, o que prova que, embora seja física, a experiência de ter um filho é cultural e emocionalmente construída. Parabéns por estar tendo a coragem de construir a sua!
    Beijoca!

    Responder

  21. Isa’s avatar

    Leeee!!

    Desejo boa sorte e toda a felicidade do mundo!!! Parabéns pela escolha e por esse bebê lindo que está chegando! Tô doida pra ver! :D

    Qualquer novidade, só falar!

    Lindo post!

    Beijão!!! =*

    Responder

  22. Carol’s avatar

    Decisão acertada.
    Aliás, igualzinha à minha, há longíquos 10 (quase 11!) anos.

    Espero que tenhas uma “boa hora”, como dizem as avós.
    :)

    Bjs

    Responder

  23. Renata (mãe do João)’s avatar

    Pois é menina, vai saber o que se passa na nossa cabeça quando a gente vai ser mãe. Eu sempre disse que quando fosse ter meu filho, queria estar anestesiada uma semana antes e acordar só uma semana depois. Agora só penso em ter um parto natural (mas em uma maternidade, nada de parto na banheira…), sem drogas, sentir tudo e lembrar depois, estar lúcida para lamber muito minha cria assim que ele sair de dentro de mim! A gente tem a máquina certa para isso!!
    Bjs e felicidades pra vc e pro feijão/lentilha.

    Responder

  24. Mari Calza’s avatar

    Nossa q alegria!!! Fico mto feliz por vc e meio triste por não ter passado aqui antes… Estou blogando muito pouco estes tempos. rsrsrs

    Mas agora quero notícias sempre!!

    Bjosssss

    Responder

  25. Paloma’s avatar

    Adorei! Penso da mesma forma :)

    Responder

  26. Mariane’s avatar

    Fiz estágio durante 2 anos em uma maternidade.Assisti muitos partos fáceis e tranquilos.Mas também muitos difíceis e assustadores.E simplesmente perdi a coragem de enfrentar um parto natural! Boa sorte pra vc!

    Responder

  27. Angelica’s avatar

    Leleca, simplesmente esta foi a coisa mais linda que você já escreveu, confesso que até meus olhos ficaram marejados ao ver todo esse amor aí, essa criança terá uma super mãe, essa mãe que já dizíamos ser nossa =D

    Beijos lindona!

    Responder

  28. Luíza Diener’s avatar

    eu não sei por que é mesmo que as pessoas têm que justificar um parto natural ou mesmo normal.
    deveria ser o contrário, né? ter um motivo e uma justificativa para fazer uma cesárea.

    ah, mas esse é aquele tipo de assunto que não acaba mais.

    parabéns pela decisão.

    bjs

    Responder

Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *