{ Oi, eu te amo! }

Esses dias, lendo Bukowski: “como pode dizer que ama uma pessoa quando há dez mil outras no mundo que você amaria mais se conhecesse?”.

Quando eu morava no interior, eu costumava brincar de bem-me-quer com aquela florzinha chamada maria sem-vergonha (reza a lenda que o nome é esse porque ela dá em qualquer lugar, mas isso não vem ao caso). A dita plantinha era uma ótima escolha para a brincadeira, porque tinha cinco pétalas e sempre dava bem-me-quer.

Bem-me-quer, mal-me-quer, bem-me-quer, mal-me-quer, bem-me-quer! Rá!

A gente se acostuma a essas coisas. E acha que se o moço quer bem a gente hoje, também vai querer amanhã. E depois de amanhã. E pra sempre. Eu achava que isso devia ser bom, mas, hoje, “pra sempre” me assusta muito, muito, mas muito mesmo.

Meda-pânica-horrora.

Eu aprendi que amor dura pro resto da vida – quiçá da morte – e o resto é balela. O que quer dizer que não vai dar pra te amar hoje e amanhã já não estar bem certa disso.

Foi assim que o dilema começou.

Eu fitando os olhinhos castanhos mais verdes do mundo. Aquele par de olhos que me faz sorrir mesmo quando eu estou chorando. E lá dentro da minha cabeça vem aquela voz maldita: “é, minha filha, cê tá ferrada… cê ama esse rapaz aí”. Lascou-se: digo ou não digo?

E se amanhã eu não amo mais? E se amanhã eu conheço um dos dez mil que eu amaria mais se conhecesse? Pior, e se eu digo que amo e ele não diz nada?

Devia ser tão simples. É só amor. Só um bem-me-quer na flor dele. Pouco importa se amanhã a flor vai mudar de resposta.

Válido só pra hoje: oi, eu te amo!

___

Texto originalmente publicado em 24/06/2008, quando este blog era hospedado no Portal RPC.

  1. Maiquel Borges’s avatar

    Cara, já me apaixonei umas duas vezes e uma delas eu jurei ser amor.
    Me casei com a primeira mulher que beijei aos 17 e acho que era amor.
    Acho que ainda é porque sinto a mesma coisa por ela. Embora não da mesma forma.
    Acho que é amor mesmo que acabe.
    Acho que é amor mesmo que não seja. Afinal, e se amor for um desses conceitos pessoais como morangos.
    Pô o que define que morangos são bons. Só porque são doces e o vermelho atrai a maioria das pessoas?
    Tem gente com papilas gustativas que define o mesmo morango como amargo, azedo ou levemente adocicado e gente com retinas que vê o morango acinzentado ou rosa. E ainda sim ele É um morango.
    Acho que amor é isso também.
    Um conceito. Vai ver tu ama, vai ver não.
    Vai ver dura, vai ver não.

    Acho que amor mesmo, incondicional. Só pela paterna/maternalidade.
    O resto é balela.

    Responder

  2. san’s avatar

    Que lindo!!!!!!!!! amei!

    Responder

  3. Liber’s avatar

    “Como pode dizer que ama uma pessoa quando há dez mil outras no mundo que você amaria mais se conhecesse?”
    Mas, se não me engano, logo na sequencia o velho Buk escreve: “Mas você não conhece”.

    Você não conhece.

    E se eu não me engano, esse mesmo bêbado já escreveu: “Se você conhecer uma pessoa de verdade, não vai conseguir amá-la”. Ou algo assim. Pode ser um erro meu, a mente prega peças.

    Pra mim, antes de tudo, o Amor é uma questão de fé. Creia e será salva.
    Se você não crê… bem, comece a bolar planos de contingência pra quando o Inferno vir bater à sua porta. E ele virá. Mesmo.

    Gosto dos seus textos. Alguns dão bastante ideia pra pensar.

    Escreva mais pra nós.

    Bjos.

    Responder

  4. lidiane andrade’s avatar

    que lindo!!! Lecs, sempre muito boa!!! adoro-lha!

    Responder

  5. Sil’s avatar

    Amar é tão feliz!
    Dure um dia ou trinta mil. É inexplicável a sensação de felicidade boba e incontrolável que amar causa.

    E eu não trocaria isso por nada…

    Responder

  6. Cecília M.’s avatar

    Engraçado, né?
    Eu saí do fundo do precipicio de um desses amores eternos agora há pouco tempo. No auge do desejo por um amor tranquilo, conheci um cara muito legal, a gente começou a sair primeiro com os amigos em comum, depois sozinhos, cada vez com mais frequencia e carinho. Estamos juntos, felizes e amorosos. Não sei se é namoro, ninguém fala sobre isso, mas é muito gostoso e envolve fidelidade.
    No entanto na quarta feira da semana apssada, no ponto de ônibus, assim, sem querer, eu conheci o utro. E o outro era tão diferente e interessante que eu dei meu telefone e esperei afoita pela ligação que não aconteceu.
    Uma semana depois percebo que a ligação nunca vai acontecer. O outro só estava lá, naquela calçada suja, viajando do meu lado, pra eu ter uma pulga atrás do orelha, pra lembrar que a paixão pode ser ainda maior e mais aventureira.
    O outro é o mal-me-quer,angustia e tudo o mais que, como você mesma já disse, não tem final.

    Responder

  7. Deyse’s avatar

    Te confesso que mais por despeito que por outra coisa eu comecei a fuçar os blogs que se classificaram pra segunda etapa do Blogbooks. Não que eu escreva maravilhosamente bem, mas comecei a reparar que alguns classificados era tão fúteis, tão sem conteúdo… enfim, não tinham merecimento algum de estar naquela lista. Isso só durou, claro, até eu ler um pouco do que você escreve.
    Ciuminho à parte, eu queria lhe dar os parabéns, porque entre uma lista de 10 blogs, você é de longe a que mais merece esse prêmio. Não que eu entenda de críticia literária ou algo assim, mas eu realmente torço por você e não seria surpresa alguma se ganhasse.
    No mais, queria dizer que seu blog é fantástico e que lamento que, hoje em dia, metade das meninas tenham perdido essa (a sua) verdadeira literatura porque acha mais frutífero falar de maquiagem, esmaltes e moda. Mas sempre me dá uma pontinha de esperança nova quando encontro na internet algo assim, como você.
    Estou linkando o blog pra não perdê-lo de vista.
    Beijos.

    Responder

  8. Carola’s avatar

    Le, eu e uma amiga chegamos à uma conclusão sobre isso uma vez. Às vezes a gente ama mesmo é quem a gente é quando está com aquela pessoa. E a gente ama a gente tanto que num quer ficar sem aquela outra parte que nos torna tão importante pra nós mesmos. Por isso acredito que talvez o Bukowski tivesse errado sobre isso, sabe. O amor não “aparece” assim tão de graça, do nada… pq ele tá dentro da gente, e num é tanta gente assin no mundo que tem essa mágica de despertar nosso melhor, de forma tão natural e verdadeira.

    E assim, se vc viu algo nos olhos, e isso que te fez sentir amor… pode saber que é mesmo só aquele par de olhinhos que vai fazer isso em vc, no mundo todo. Os olhos são a janela da alma né!

    Responder

  9. Uli’s avatar

    Eu digo que amo, sem dó. O primeiro e todos os que se seguiram.
    Tá, “amo”, talvez nem todos, mas quem entrou na minha vida e mexeu comigo deixou uma parte aqui dentro, conheceu lados importantes e marcantes de mim e vou sempre amar. Um pouquinho, um pedacinho que seja.
    Mesmo bem casada e mãe de família, sei que posso contar com esses 10 mil amores. Mas não troco o “oi, eu te amo” atual por nenhum outro…

    Responder

  10. so sad’s avatar

    hummmm
    eu acho que amor mesmo, aquele que faz voce virar do avesso nao é assim, voce sabe que aquela pessoa é deifinitivamente unica em sua vida!

    Responder

  11. Marcos Guinoza’s avatar

    Amar em banho-maria ou amar à beira do precipício?
    Essa eh a questão que me atormenta.
    Ótimo blog.
    Bj.

    Responder

  12. caso me esqueçam’s avatar

    ih, rapaz, nao sei se tenho algum gene suicida, mas sou daquelas que nao pensa muito no que vai dar o fato de eu amar ou nao, o fato de ser para sempre ou nao. quando gosto, eu digo, quando eu quero, eu faço. falando assim, fica bem bonito, neh? fica bem “nossa, olha como ela eh intensa”. aih vem a parte dois: nem sempre recebo o que dou de volta, nem sempre da certo o que eu faço. e dai sao meses de dor e choro. mas isso tudo indica que eu tou vivendo. e ate agora, nao me arrependi de nada nao, tou bem feliz com esse gene suicida :)

    Responder

  13. Miriane’s avatar

    Letícia:

    Em primeiro lugar, PARABÉNS!!! Acabei de ver que você ganhou o concurso blogbooks na nossa categoria! Parabéns, parabéns, parabéns!!! É muito bom saber que quem ganhou foi alguém com conteúdo, com coisas para falar, com português correto! Parabéns!!!

    Eu já tinha lido seu blog, antes, mas não tinha lido essa historinha do amor! Linda!

    Amor é assim mesmo: contagiante, inevitável. Ele vem e puf! Você já era! Então, pra que esconder??? Se você percebe que é amor mesmo (não faniquito seu), fale! Declame! Coloque no jornal!!!

    Meu amor se foi há 8 meses atrás. Se foi, mesmo. Pra sempre. E, não… eu não sou uma velhinha viúva (assim como os gordos, as viúvas também são rotuladas – só fica viúva quem é velha, sem objetivos, paradona na vida. Mesma coisa que gordo… todo mundo olha!). Sorte a minha que falei (e ouvi) muuuuuuitooooos eu te amo!

    Acho que tinha uma plantação de maria-sem-vergonha na porta de casa!!!
    kkkkk

    Quando der (e se quiser), passe pelo nosso blog (www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com) para deixar um “alô”!

    Bjos e bençãos.

    Miriane

    Responder

  14. Isabela Juliana’s avatar

    Esse texto… caramba…
    “Eu aprendi que amor dura pro resto da vida – quiçá da morte – e o resto é balela.” E o medo que dá quando a gente se discobre amando… ih… nem se fala! “é, minha filha, cê tá ferrada… cê ama esse rapaz aí”.
    Ai não importa mais ter um milhão de outros pra conhecer… vc já achou!
    Vida.. Vida…

    Responder

  15. Isa’s avatar

    Quando, sem querer, a gente ama alguém, quer que, realmente, dure pra sempre. Começa a ter pensamentos de morar junto com o cara – depois de 3 meses de relacionamento, só de saber que ele vai viajar já enlouquece, não consegue ficar longe durante uma semana… se isso é amor, não sei, só sei que é bom :)
    E como ouvi uma vez: “não precisa amar cada dia mais, só amar todos os dias” :)
    Lindo o texto, Le, beijooos!!! =*****

    Responder

  16. Sabryna’s avatar

    MUUITO LEGAL, AMEI !

    O AMOR É COMO UMA PLANTINHA, SE VOCÊ REGAR ELA VAI FLORESCER,AO CONTRÁRIO DISSO, ELA IRÁ MORRER ! *-*

    Responder

Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *