{ É tarde, é tarde, é tarde! }

Eu sou do tempo em que se fervia leite. Se você desse as costas pro fogão, ele fervia e derramava todo. Hoje, se o ritual ainda fosse necessário, arrisco dizer que metade da população abandonava a média e passava a tomar café preto.

A gente não sabe mais esperar. Janta a comida feita em quinze minutos, encontra o amor na balada em dez, decide que ele não é o cara em cinco e devora o pote de sorvete em dois. Pra começar tudo de novo no dia seguinte. E se todos os dias não forem felizes, e se todos os dias não forem cheios, e se eu não for e você não se tornar, então é que não esperaremos mesmo. Mesmo que seja só depois de amanhã.

Até ver que algumas pessoas valem a pena serem cuidadas para florirem uma vez ao ano por duas semanas. Regadas semanalmente, adubadas semestralmente, só para exibirem o melhor de suas flores vermelhas. Coisa pra se aprender com quem vive de esperar: a melhor ação, no melhor momento, pode não valer nada se o tempo não ajudar. E se por isso o agricultor desistir antes de começar, não haverá trigo, nem cana e nem cevada – e a espera no bar será ainda maior.

A espera pertence às partes emocionantes. É Dona Morte e Dona Cegonha sentadas no banco olhando para o relógio de parede. Uma delas pronta pra levantar ao andar do querido em sua direção, às tentativas de concepção, aos três segundos de susto antes de saber se está tudo bem.

A gente sempre acha que tá atrasado. Se não valer a pena agora, não valerá nunca. Se falta paciência pra encher a garrafa d’água, imagine encher uma vida. Moça, faz favor: me vê um amor, um casamento, um par de filhos e um emprego. Mas é pra já porque eu tou com um pouquinho de pressa.

Coloque o leite pra ferver, amor. Eu espero.

___

E esperar elevador? Avião? Na fila?

___

Ainda preciso fazer um texto sobre os “sou do tempo que”.
Putz, tou ficando velha!

  1. Ana’s avatar

    Nossa, sou do tipo q enquanto coloca um seriado pra baixar no computador, faz a comida, toma um banho rápido e assiste o seriado comendo.
    queria q a vida tivesse velocidade 3, às vezes…

    Responder

    1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

      Ou 5, como o Créu.

      Responder

    2. Marcos Guinoza’s avatar

      Dizem que os orientais sabem lidar com o tempo com mais sabedoria. Pois eu sou o exemplo vivo de que isso não verdade. Preciso de tudo ao mesmo tempo agora. Mas vai ver de oriental só tenho a cara, né? rs….

      Responder

      1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

        Nunca imaginei que você tivesse uma possível ascendência oriental… esse negócio de internet é mesmo muito engraçado. ;D

        Responder

        1. Marcos Guinoza’s avatar

          Pois é. Escondo meu rosto na foto para que o blog O Idiota Feliz não vire “o blog do japonês”. Meu pai tinha uma oficina mecânica. Chamava-se Oficina Oriental, mas adivinha como ficou conhecida? “a oficina do japonês”… rs…

          Responder

          1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

            Eu gosto da sua foto. ^^

            Responder

          2. Liber’s avatar

            “Quem espera sempre cansa”.
            “Nunca desista de ninguém, milagres acontecem todos os dias”.
            “A paciência é a mais poderosa de todas as armas”.

            Eu não tenho pressa de nada faz tempo. Vou curtindo o passeio na janelinha. Mas queria passar mais tempo ao léu, sabe? Vadiar mais, morgar mais, sem dor de consciência. O problema não é só a velocidade, mas a quantidade de acontecimentos.

            Tudo passa tão rápido, né? Quero sossego…

            (Ah, essa do leite eu ainda conheço. As pessoas não esquentam mais o leite no fogão? Sou só eu? Quero dizer, esquentava, antes desubstituir o leite por aquela coisa de soja. Pelo menos aquilo não transborda…)

            Responder

            1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

              Eu esquento no microondas. Mas não precisa ferver, né? Tudo pasteurizadinho e coisa e tale.

              Se você achar o sossego, manda um pouquinho pra cá, por favor?

              :**

              Responder

            2. Marina’s avatar

              a minha vida é uma eterna espera, e quando reclamo minha mãe diz “esperei você por 9 meses tenha paciência”. acho que to aprendendo…. ai ai;; :~

              Responder

              1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                diz que a gente demora, mas aprende. sei não. ;)

                Responder

              2. Karina’s avatar

                Eu percebi que estava doente quando uma vez, em férias, não conseguia ficar sem fazer nada. Me dava tremedeira, faniquito, logo arrumava atividade. No trânsito louco de São Paulo a gente vê também como as pessoas estão igualmente malucas e não conseguem esperar nada, nada, nada. Nem em favor de uma gentileza… Nem em obediência às regras.
                Mas me curei. Hoje salvo algumas horas da semana para o nada. Assim mesmo escrito na agenda, NADA, todo maiúsculo. E sabe, são horas onde TUDO pode acontecer. :-)
                Beijos! Adorei!

                Responder

                1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                  O marido é meio assim. Em sala de espera do aeroporto, ele saca o notebook “pra ver um filminho”. Não dá conta de não fazer nada.

                  Adoro a hora de fazer nada! \o/

                  Responder

                2. Lidiane Andrade’s avatar

                  Ótimo texto, pra variar
                  Me encaixei em toda esta pressa aí, bem como você me disse ontem ao telefone…
                  Eu e o coelho da Alice estamos sempre com pressa, talvez porque na pressa, a gente saiba logo as resposta, ou passe batido por elas, entende?
                  Beijo, lecs

                  Responder

                  1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                    ééééééé. sei muito bem o que tu queres, manoel.

                    Responder

                    1. Lidiane Andrade’s avatar

                      Ainda bem que alguém sabe, né? rsrsrsr “é tarde, é tarde, tão tarde até que arde….”

                      Responder

                    2. Patricia Scarpin’s avatar

                      Acho que a urgência não ajuda mesmo em nada, e às vezes demora pra cair a ficha e a gente se tocar disso – adorei o teu texto, Letícia.

                      Responder

                      1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                        Brigada, Patricia! Eu tava dando uma olhada nas receitas de sorvete lá do Technicolor – desisti porque tem que cozinhar, levar pra gelar, botar na sorveteira… tou juntando paciência pra tanta espera. Hehehehe!

                        Responder

                        1. Patricia Scarpin’s avatar

                          Moça, tem esse aqui que é ultra refrescante e não precisa cozinhar nada, é só jogar tudo no liqüidificador:
                          http://technicolorkitchen.blogspot.com/2009/03/super-sorvete-de-limao.html

                          O de milho tb é uma delícia – pra quem curte curau é um prato cheio (tb não dá trabalho fazer):
                          http://technicolorkitchen.blogspot.com/2009/02/sorvete-de-milho-verde.html

                          Espero que goste!

                          Beijo!

                          Responder

                          1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                            A primeira receita que eu fiz na sorveteira foi um sorbet de limão que ficou doce toda vida (eu falei tanto da sorveteira que a sogra me deu uma, hehehehe. No fim, acabei fazendo pouquíssimas receitas porque invento uma dieta a cada 30 segundos).

                            Mas esse sorvete de limão não vai passar impune! Não haverá dia das crianças nessa casa se não houver sorvete de limão! Brigaaaaada! :D

                            Beijo!

                            Responder

                          2. Miriane’s avatar

                            Letícia:

                            Bom dia!
                            Mais uma ótima pérola sua!

                            Hoje, postei um texto que acho ótimo, de um Rubens. Não o seu. Outro. Igualmente marcante!
                            Dê uma passadinha e me diga o que acha!
                            http://diariodos3mosqueteiros.blogspot.com/2010/10/ostra-feliz-nao-faz-perola-diario-da.html

                            Se quiser copiar (pois bons Rubens por aí, são raros!), fique à vontade!!!

                            Bjos e bençãos.

                            Miriane

                            Responder

                            1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                              ah, se todos os Rubens fossem como esses… :D
                              (ah, e pode chamar de Lê, Leka, Leleca, Lecs… fique à vontade!)

                              Responder

                            2. Tati Reis’s avatar

                              E eu li o texto e fiquei pensando na pessoa que rega o amor o ano todo pra ele florescer uma vez ao ano. Odeio amores orquídeas, sazonais. O que dá o ano todo? Samambaia?? Então eu quero um amor samambaia, que dê o ano todo (opa!), toda bonita e verdinha, simples e barata mas o ano todo!

                              Responder

                              1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                                hahahahahaha! tem esses também. mas ó, karlinha você rega o ano todo pra florir no carnaval! ;D

                                Responder

                                1. Tati’s avatar

                                  HAHAHAHA
                                  Karlinha a gente rega com vódega vermelha!

                                  Responder

                                2. san’s avatar

                                  Poxa vida… “tô” aqui pensando… eu tbem coloco seriado pra baixar, daí faço a janta ou simplesmente “aqueço” rs, tomo banho e volto correndo pra assistir o seriado, comendo… bem como comentou a Ana… rsrs.. mas tbem era das que reclamava a espera do elevador, isso até o dia em que fiquei um tempão esperando.. ele estava no 26º andar e eu lá em baixo, já impaciente.. qdo chega ao meu lado meu excelentíssimo esposo (até então um desconhecido qqr) para tbem aguardar o tal elevador.. e foi aí que conheci meu grande amor.. esperando o elevador.. (trocamos e-mail, e daí msgs, e aí surgiu o amor…hahahaha.. ) “quem espera sempre alcança”.. hehe.. nunca mais reclamei de elevador…. Mto bom o texto.. ai como eu viajo lendo os textos, incrível.. sempre me faz lembrar algum momento já vivido!

                                  Responder

                                  1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                                    ah, jura que você conheceu o marido esperando o elevador? que história ótima! vai ter que me contar com detalhes dia 16. ;D

                                    Responder

                                  2. Sil’s avatar

                                    A Eleonora me ensinou (e continua ensinando) que o segredo do amor é saber esperar.
                                    A Tati que me desculpe, mas entre samambaias e orquídeas, sou mais as orquídeas que passam o ano com lindas folhagens e ainda produzem flores que duram meses. Mas se é para falar de amor flor, gosto mesmo dos lírios que vão bem em solos férteis, gostam de ser regados regularmente pq precisam de umidade, não toleram água em abundância e nem seca, apreciam o frio e perdem a folhagem durante o inverno, quase como introspecção para se reinventar porque é nessa fase que os bulbos amadurecem (daí entra a paciência para vê-lo florescer de novo!).

                                    Responder

                                    1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                                      eu nunca consegui fazer os lírios vingarem. mas eu tenho uma amarilys que funciona nesse esquema. esse ano ela atrasou, mas em uns 3 dias devem abrir as flores. ;D

                                      Responder

                                      1. Sil’s avatar

                                        Amarilys costumam não vingar comigo…

                                        Responder

                                      2. Tati Reis’s avatar

                                        Eu acabei de saber que moro na casa dos Matos. E ficou esse papo de Matos pra lá e Matos pra cá e lembrei do meu comentário daqui. Então retifico, não quero um amor samambaia, quero um amor mato, daquele que depois que nasce não adianta arrancar pela raiz, plantar outra coisa melhor por cima e nem passar veneno, ele é perserverante e nasce de novo, até no meio do paralelepípedo da calçada.

                                        Responder

                                        1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                                          você quer um amor maria-sem-vergonha, que dá em todo lugar! acha que eu não sei? hahahahahaha!

                                          Responder

                                        2. Sil’s avatar

                                          Amor mato! Demorou mas compreendi os matos da Tati… Aliás, adorei o comentário! A cara da da Tati!

                                          Responder

                                          1. Tati’s avatar

                                            Amor de Matos!!!! <3

                                            Responder

                                          2. Marcos Xavier Vicente’s avatar

                                            A qualidade dessa crônica ficou acima do normal, que já é alta.

                                            Beijo
                                            Marcão

                                            Responder

                                          3. Isa’s avatar

                                            Ainda fervo o leite aqui em casa, porque fica mais gostoso do que colocar no microondas :) Eu espero, mesmo estando atrasada, porque já acordei na hora em que devia estar no trabalho, então, não vai fazer tanta diferença.
                                            Impaciência é que é o “mal do século XXI”, é por isso que muitos casais se separam e muita gente vive o sonho pela metade.
                                            O dia em que as pessoas aprenderem a respirar fundo e contar até mil, quem sabe, as coisas serão resolvidas da forma devida :)
                                            Beijos, Le!!! =****

                                            Responder

                                          4. Cecília M.’s avatar

                                            Menina, vc sabe que eu tô namorando um carinha que viaja, né? E tenho me questionado a beça se vale a pena. Seu texto me ajudou a colocar mais carinho na espera.

                                            Responder

Reply to Lidiane Andrade Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *