{ E diversão! }

Agência bancária é a mais livre expressão da vida em comunidade. Todos os tipos, todos os contra-cheques, todas as idades se encontram nesse enorme playground financeiro. Praticamente Hopi Hari em dia das crianças. Para passar o tempo, sugerimos uma atividade lúdica para relaxar adultos, entreter pimpolhos e envergonhar mães: o Bingo do Banco!

Passo a passo

Cada participante montará sua cartela segundo o grau de dificuldade desejado: no nível “É baba!”, as cartelas terão nove itens comumente encontrados em agências bancárias. No “Meia boca”, esse número sobe para 16. Senhorinhas de cabelos roxos pagando 17 faturas, irritadinhos esbravejando e terminais em manutenção são sugestões para essas categorias do jogo.

AVISO: Se auto-controle não é sua maior virtude, sugerimos optar por uma dessas modalidades acima, visto que as mais complexas podem intensificar a frustração da fila bancária e resultar em prisão e/ou morte iminente(s).

Aumentando o grau de dificuldade:  cada cartela será composta por nove itens (nível “PQP”) ou 16 (nível “Al Qaeda”) raramente vistos em banco. Todos os caixas funcionando, ausência de crianças ranhentas e Larissa Riquelme/Rodrigo Lombardi, por exemplo, podem ser escolhidos para essas modalidades.

Ganha quem encontrar todos os itens, completando a cartela antes dos outros. Divirta-se!

___

Como eu vou sozinha ao banco, jogo a versão autista – sozinha e mentalmente. Só não posso gritar “bingo!” pra não ser atingida por bengalas de velhinhas que não sabem perder.

  1. Ana’s avatar

    Nossa, por que não pensei nisso antes??? Normalmente eu fico com fones de ouvido e só desligo pra ouvir os barracos…

    Responder

  2. Lidiane Andrade’s avatar

    KKKKKKKK
    Lecs, você literalkmente tem uma mente brilhante!!!!!!! rsrssrrs
    beijão.

    Responder

  3. Uli’s avatar

    Eu era adepta da versão autista, mas com livro ou revista. Ligada em tudo, mas escondida atrás das páginas, afastando qualquer possibilidade de abordagem. Hoje levo o Theo – ainda pego fila preferencial e não tem MESMO como ser monótona minha ida ao banco. Nem como passar despercebida. Acho até que podemos ser incluídos em alguma categoria da cartela! “Mãe com menino que mexe em tudo”…

    Responder

  4. Pativi’s avatar

    Le, só faltou a opção “ser barrada na porta giratória”. Essa eu marco sempre!!!

    Saudade!

    Beijos,

    @Pativi

    Responder

  5. Nina Vieira’s avatar

    Idéia genial. Detesto bancos e/ou lugares burocráticos. Em contrapartida, gostei muito daqui.

    Responder

  6. Carola’s avatar

    Nem pensar em ir ao banco com a Emília! 1° que não conseguiria tirar ela da porta giratória, 2° que ela mexe com todas as pessoas à sua volta e 3° que era capaz de ela acabar indo parar no colo do caixa ou do segurança! Não tem condição!

    Responder

  7. Cecília M.’s avatar

    E o dia que eu tive que ir no Itaú renegociar a dívida do cheque especial e a moça me perguntou a minha profissão, aí qd eu disse “professora”, ela disse: “ah, eu tb era professora lá na minha cidade, mas ganhava mal, né? aí vim trabalhar aqui.” E eu com que cara né?

    Responder

Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *