{ A internet nem sempre existiu }

Ah, a tecnologia. Até minha mãe tem endereço de e-mail. Ela, que nunca soube programar o vídeo-cassete, agora tem um computador só pra ela.

Nos primórdios da internet, uma das revistas de adolescente resolveu divulgar o endereço de e-mail do Brad Pitt. Era 1995. Época em que poucas pessoas no mundo sabiam que diabos era correio eletrônico. Mas, como toda boa e qualquer fã pirralha, a juventude queria demonstrar seu amor.

Minha amiga apareceu com o envelope:

Para:
Brad Pitt
bradpitt@hotmail.com

(sei lá qual era o endereço dele, mas, juro, ela queria mandar uma carta pro e-mail dele)

Eu tentando explicar: olha, isso aqui é um endereço que você manda por computador. Não, eu não sei como funciona. Eu vi no jornal, presta atenção: isso é um negócio que eles chamam de correio eletrônico!

Ela foi aos Correios com o dito envelope. Sei lá se eles aceitaram.

___

Em 1996, eu descolei meu primeiro namorado: um moço nerd de 16 anos que trabalhava com alguma coisa de informática, tinha aulas de Cobol e me mandava cartas digitadas com temas ilustrados. Eram tão bregas que eu não tenho coragem de jogar fora. Uma delas era uma correspondência datada de 2010 (sim, no futuro!) – em que ele dizia estar numa conferência no Japão e aproveitava pra me mandar um e-mail.

Eu achava que ele era maluco, mas não tava de todo errada. A carta do futuro perguntava se o Leonardo, nosso filho imaginário, tinha melhorado da febre. Fora o inconveniente de escrever tudo no diminutivo, o que me fazia sentir uma formiga vivendo com elefantes. Mas uma coisa eu não posso negar: ele estava certo sobre os e-mails.

___

Até praticamente o fim do primeiro grau, meus trabalhos da escola foram entregues em folhas de papel almaço. Era tudo feito à mão, com uma capa escrita com letras rebuscadas. Bom, era uma tentativa de parecer rebuscado. Eu tinha computador em casa desde os 11 ou 12 anos. Um daqueles de tela preta e letrinhas verdes, em que, pra acessar os programas, você precisava saber os comandos, não era só sentar e clique-clique-clique.

Eu tive cadernos de caligrafia. Preenchi vários. Minha letra é bonita, mas vocês nunca vão saber.

  1. Tereza Jardim’s avatar

    Estranho é ter nascido logo antes da revolução digital.

    Porque mesmo tendo acostumado rápido com os avanços tecnológicos, ainda tenho a lembrança viva das coleções de papel de carta, dos trabalhos feitos em papel almaço e das pesquisas na biblioteca da cidade. Ah, crianças criadas no Google…

    Responder

    1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

      Eu ainda tenho minha coleção de papel de carta! E eram taaaaantos. Quer dizer, acho que tenho (será que minha mãe jogou fora?). Taí…

      Responder

    2. Isa’s avatar

      Uau! 1995…Internet, e-mail… não tinha a menor ideia do que era isso. Ainda estava no Jardim III! E, pelo jeito, a pessoa devia ser programadora pra entender os comandos do computador!

      Quem já nasce na frente de um não sonha o que é pesquisar em livros e escrever todos os trabalhos da escola.

      Como diz minha vó: “A Torre Eiffel foi construída sem Internet”. E, agora, todo mundo depende desta pra, como você mesma citou, mandar um simples e-mail. Acho que não nos livraremos tão cedo da era da “comida congelada” e das coisas prontas.

      Beijos, Letícia!! =*****
      P.S.: Deixei um comentário pra você, logo abaixo do seu, no meu blog ;)

      Responder

      1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

        Jardim III? Ah, você é um bebê! Hahahahaha!
        Sua vó é uma mulher muito sábia! Vou adotar essa frase pra vida!
        (aliás, minha cidade é aquela que tem uma réplica da Torre Eiffel. Umuarama! Hahahahaha!)

        Responder

      2. Lidiane Andrade’s avatar

        Leleca-peteca!!!! primeiro de tudo, kd vc? segundo de tudo, eu inda lembro do tempo que minha mãe controlava meu tempo na internet: 10, apenas 10 minuitinhos por dia e só nos fins de semana!!!!!! era a época dos tais pulsos telefônicos, lembra disso??? eu detestvava isso! e eu conheci felipe nessa época, aí você imagina, namorar pela net e somente por dez minutos diários (teve uma época que passou a ser dez minutos diários!). Ainda bem que o casório deu certo, rsrsrrsrsrs. Ei, eu tbm tenho a letra bonita, inclusive ainda lembro que te devo uma tal carta com uma tal lembrancinha, mas ela tá guardada e a carta, bem, essa ainda tá na minha cabeça! Aí tu vai ver minha letra, resultado de muitos livros de caligrafia na primeira série! e eu tbm me acabava com aquelas folhas de papale pautado e fazia aquelas capas monstruosas…
        beijocas, nêga!

        Responder

        1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

          Conectar só depois da meia-noite e depois das 14h de sábado! E o servidor dando ocupado, porque todo mundo queria conectar! Hahahaha!

          Ainda tou esperando a carta, viu? Hahahaha! Beijo!

          Responder

        2. JulioHM’s avatar

          Tem gente que trabalha comigo e nunca viu um mimiógrafo na vida

          (8-O

          Responder

          1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

            Mas claro que lembro. Nem precisava da figurinha. Minha mãe era professora! Sem falar no cheiro de álcool que as provas exalavam… hehehehe!

            Responder

          2. Carola’s avatar

            Quando a internet surgiu, eu tava no 2° grau, fiz técnico em processamento de dados no OPET… rsss! Eu era bem nerdzinha, mas era uma nerd disfarçada de punk! Hahahahha! Vi tudo isso começar, em 1995 eu já era estagiária numa empresa de informática. Era uma emoção conectar-se à internet, com o windows 3.11 for workgroups! O meu email do yahoo eu fiz logo que o yahoo existiu, então quer dizer… tou me sentindo um fóssil aqui! Hahahahahahaha!

            Responder

            1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

              Ai, que chique! Ah, mas é um fóssil bonitinho! ;D
              Hahahahahaha!

              Responder

            2. Marina’s avatar

              eu só sei que não vivo sem o google, aliás, nem devia ter vida antes disso.

              Responder

            3. Tati’s avatar

              A tua letra é linda mesmo!!!
              E o nosso primeiro e-mail a gente fez junta! Era um ###@hotmail.com – esse ### dá uma vergonha de lembrar! hehehe
              E eu lembro da gente comentando q eles falavam no Fantástico q a gente ia poder visitar o Louvre pela internet. Ainda acho que eu nunca entrei no site do Louvre.
              Ai Ai… Alta Vista… Yahooooooooo…
              Lady Erynies (era assim?) e Boa Menina… ô ôu
              Eu tive um zipmail! huauahuhau
              Enfim… divagações sem sentido as minhas….

              Responder

              1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                Abafa, Tatiana, abafa… hahahahahaha!

                Responder

              2. Liber’s avatar

                Oi.

                Parabéns pela graduação, senhorita designer.

                O livro que te falei era mesmo do Jack Kerouac. “Diários de Jack Kerouac”, lançado pela L&PM. Basicamente, é a jornada do escritor, seu dia a dia, o treinamento para o combate e coisas assim. Acho que você vai gostar.

                Peça pra Chantal transformar em quadrinhos a historinha do e-mail do Brad Pitt. Vai ficar bacana.

                Bom te rever.

                Até a próxima.

                Responder

                1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                  Duplamente obrigada, Liber!
                  Até a próxima. ;D

                  Responder

                2. Sergio’s avatar

                  Eu nem gosto de lembrar quando nos idos de 1995 compravamos creditos de acesso pela SUL BBS e eu dizia.. email? nunca vou usar isso!

                  Parabens pelo diploma dona moça!!

                  Responder

                3. Sergio’s avatar

                  Po! Estava vendo agora… tem ate meus comentarios de 2003, ahuahuahuah! Achei aquele em que destruiram meu carro.. chuiffsss

                  Responder

                  1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                    Eu vi esses dias, me rachei de rir! Acho até que te falei no msn, não?

                    Responder

                  2. Clare’s avatar

                    Ah, eu sei que sua letra é linda, redondinha e bem desenhada. Apesar dos emails e etcs, eu sinto falta de receber cartinhas pelo correio… Muito mais pessoal, com letra feia ou bonita.
                    Adoro seus textos! Até divulgo…

                    Responder

                    1. Letícia Simoni Junqueira’s avatar

                      Eu tenho uma caixa de cartas. Não jogo fora nem que me peçam. Carta era bacana porque vinha com a letra, o cheiro, a escolha da cor da caneta, uma figurinha colada… ainda escrevo pra minha vó, hehehehe! (mas só de vez em quando)

                      Brigada, Clare! Você é um amor! ;D

                      Responder

Reply to Marina Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *