{ Campanha }

Como eu disse no post anterior, ontem eu fui doar sangue. Dessa vez, foi para uma pessoa em particular. Alguém que eu sabia que precisava. Que tá lá, na labuta, tentando viver. Na contra-mão, um rapaz tetraplégico, surdo e cego, tentava se matar desde setembro de 2000, mas ninguém permitia. E como é que um tetraplégico se mata? Nem isso consegue fazer. O caso aconteceu na França, a mãe finalmente conseguiu matar o rapaz hoje.

Às vezes tento estabelecer um limite para isso. Até que ponto vale a pena viver? Vale a pena estar numa cama, somente ouvindo, sem se mexer? Em que momento a existência passa a ser tão insuportável a ponto de desistir?

(Não, terminar com o namorado e brigar com a mãe não são, nem de longe, motivos suficientes para desistir. Se achar a pessoa mais feia do mundo também não.)

Mas penso nos que tentam ficar aqui, enquanto já são levados pela mão para um outro lugar. E não desistem. Esses decidiram viver. Deveras, foi uma bela escolha.

Para quem quiser doar sangue, o site do Hemobanco traz um monte de informações. A página é de Curitiba, mas é só procurar um banco de sangue onde você estiver. Vamos lá, deixe de ser cagão e enfrente a agulha!

Vai doar?

Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *