{ Jesus de Genésio }

Seis doses de pinga de banana e uma aula de cálculo depois, eis o resultado. O texto era praticamente inédito para mim também, até eu digitá-lo agora.

Da pinga de banana

Se eu entender os hieróglifos, postarei no blog. Bem, se vocês estão lendo é porque consegui decifrá-los.

Seis. Após seis doses de pinga de banana, mais alguns goles de cerveja, cá estou eu na aula de cálculo. Concentrar-me nas derivadas parece impossível. Escrevo para fingir que resolvo o exercício proposto.

Fecho os olhos e vejo batidas de música eletrônica. A professora desconfia e me encara. Continuo rabiscando o papel que, se compreender depois, colocarei no meu blog.

(Noto, agora sóbria, que já disse isso.)

Engraçado como algumas pessoas definitivamente não nasceram para o cálculo. Meu ex-namorado me deu essa agenda, esqueci o caderno. A professora mata tempo ainda não perguntou sobre (indecifrável).

Amanhã tenho que trabalhar. Devo estar de ressaca. Isso que dá acompanhar os amigos deprimidos que perdem as namoradas.

Está no quadro:

Prove que (sec x)’ = sec x . tg x

Não me lembro de nada disso. Lembro do gosto da pinga de banana, que desce queimando a minha laringe.

Minha amiga me cutuca, quer saber se estou dormindo. Ainda não. Não sei como vou embora. Meu carro está me esperando, após a melhor baliza da minha vida, mas não sei se ainda sei dirigir.

Melhor me levantar, antes que eu durma. Ou vomite.

Pelo menos já são 10 horas. Faltam 50 minutos de tortura. Talvez eu saia um pouco para respirar, talvez não. Periga não voltar, nunca mais.

Duas amigas minhas tinham a teoria de que Marx e os pensadores de maneira geral eram um bando de alcoólatras e fumadores de maconha, que escreviam no auge do colapso alcoólico. Talvez não os (indecifrável).

Se bem que, agora, não tenho certeza de nada.

Ic!

Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *