{ Quit playin’ games }

É praticamente físico. A língua começa a mexer, a boca abre, o cérebro não comanda mais nada.

– Hum, você fica muito bonito de preto!

Pronto, tá dito.

Tudo podia ser simples. Era só ficar quieta. Mas nããããão. Eu preciso dizer quando eu gosto. Preciso dizer que sinto falta, que acho bonito com o cabelo preso, que gosto dele de preto. Prática não muito adotada (especialmente entre as mulheres), muitas vezes soa como cantada.

Se eu não falo, aquilo me remói, eu penso o tempo inteiro, eu olho, quero dizer, não, eu vou ficar quieta, não, eu preciso dizer. Conflito de decisões.

É que eu não sei fazer joguinho. Até conheço a teoria, mas a prática me parece impossível. Isso me incomoda. Eu não consigo ficar tranquila. E assusto os caras que são acostumados com a habitual lenga-lenga feminina. Mulher que elogia tá sempre cantando e é sempre puta.

Puá. Então eu sou assim.

Como diz a música: mas que se foda!

Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *