{ Nonsense }

O senhorzinho que cuidava do meu carro me deu um chocolate.

Simples assim. Eu estacionei na rua e, quando voltei, fui lá entregar umas moedinhas. E ele me deu um chocolate. Desacostumada que estou com a gentileza no dia-a-dia (especialmente por parte de desconhecidos), matutei ligeira: alguma coisa aconteceu e ele quer me distrair.

Nada. Tudo certo. Consciência pesada por não acreditar num gesto tão mimoso assim, em plena Sete de Setembro.

E eu vim dirigindo sorrindo, meio sem saber porquê. Preciso parar de querer entender as coisas e as pessoas. Elas sempre vão me surpreender. Como o meu vizinho, com lar quentinho, jantar, carro e família, que simplesmente ignorou meu boa noite.

A noção do mundo morreu afogada no dilúvio, só pode.

Brigada, tio!

Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *