{ Amar é…? }

O amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

Acho que ninguém melhor que Luís de Camões descreveu o amor. Embora seja um tanto quanto subjetivo demais. Talvez venha dessa inexplicação que é esse sentimento.

Ninguém sabe de onde veio nem para onde vai quando se acaba. Mas todo mundo sabe quando o amor se instala de mala e cuia.

Às vezes a gente se engana e acha que ama, só porque quer amar. Mas não basta querer. Tem que saber esperar.

Ah, e como a gente espera.

Espera tanto para, um dia, encontrar a felicidade no outro. Para ser chamada para dançar, no meio da sala de estar, ao som do Especial do Roberto Carlos. Para passar todas as noites ao lado de quem se ama, sem se incomodar se ele ronca ou baba. Para beijar de novo e de novo e de novo, sempre com o gosto da primeira vez.

Porque amar é ser feliz a cada pequena coisa que se faz junto ao bem amado. É dar um pedaço de si e receber um pedaço que não encaixa exatamente no lugar… mas que faz um bem danado, melhor até que quando se era inteiro.

Talvez Camões esteja certo em ser subjetivo. Não há como explicar, objetivamente, o inexplicável.

O que é o amor?

Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *