{ Sempre igual, agora diferente! }

Dia desses, li a coluna do Dimenstein sobre a redução da maioridade (de 18 para 16 anos). Quando vi, na Folha Online, a chamada “Baixar a maioridade é bobagem”, pensei: agora alguém deve ter um bom motivo para eu mudar de idéia. Afinal, Dimenstein é Dimenstein, certo?

Errado. O argumento é que os criminosos saem da prisão pior do que entraram. E que a solução é que o sistema penitenciário eduque – e o criminoso se convença que, se continuar nessa vida, vai acabar preso. Rá rá rá. Bela solução.

Engraçado como Gilberto Dimenstein pode defender um monte de idéias utópicas e ser o último Gatorade do deserto. De repente me peguei pensando em como algumas coisas já têm um pré-determinado padrão de qualidade. E nem sempre elas continuam tão boas, mesmo que a fama permaneça.

Sou menos que a merda do cavalo do bandido pra falar mal de Gilberto Dimenstein; mas é fato que, nessa coluna sobre a redução da maioridade penal, os argumentos foram tão convincentes quanto os de um adolescente palpiteiro.

No mesmo raciocínio, pensei no template do Chá-tice. Parecia bom – até agora. Talvez, fosse bom porque eu achava que era bom. E ele já nem fosse tanta coisa assim.

Sempre é bom julgar e analisar as coisas. Mesmo as que vemos todo santo dia.

Faça sua análise!

Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *